Geral 29/11/2018 - 12:01 - Suene Moraes/Governo do Tocantins

Meio Ambiente participa de reunião do GCF para consolidar novos investimentos

O Tocantins vai receber R$ 1,5 milhões do fundo criado pela Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF Task Force) O Tocantins vai receber R$ 1,5 milhões do fundo criado pela Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF Task Force) - Suene Moraes/Governo do Tocantins
Reunião conta com presença dos nove secretários que fazem parte da Amazônia Legal. Reunião conta com presença dos nove secretários que fazem parte da Amazônia Legal. - Divulgação/Governo do Tocantins

A Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF) da Amazônia Legal realiza nesta quinta-feira, 29, em Brasília (DF), uma reunião para a transição de governadores e secretários ambientais e do Comitê Diretivo com o objetivo de avaliar quatro objetivos prioritários, entre os quais o desenvolvimento e consolidação de parcerias público-privadas nas cadeias de valor da agricultura e manejo florestal como eixos do desenvolvimento de baixas emissões. A reunião segue até esta sexta-feira, 30, e o Governo do Tocantins está sendo representado pelo secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Leonardo Cintra. 

No evento, os nove secretários estaduais de meio ambiente que compõem a Amazônia Legal participam da construção de uma agenda de aumento da competitividade dos estados amazônicos. O trabalho será conduzido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a trading brasileira especialista em desenvolvimento sustentável no agronegócio, Amaggi.

O secretário da Semarh, Leonardo Cintra, adianta que o momento será para socialização de informações entre as unidades federativas, planejamento de ações e definição de prioridades. “Vamos consolidar o projeto ‘Estratégia Tocantins Sustentável’, com eixos para aumentar a competitividade do Tocantins e para o crescimento de parcerias para o desenvolvimento de baixas emissões”, explicou. Cintra destaca que a programação é voltada justamente para unir os estados em torno dessas oportunidades. “Teremos um momento específico de consultoria sobre ‘como atrair investimentos a partir da valorização dos ativos ambientais’, uma pauta que vai ao encontro com as nossas ações voltadas para o Programa Jurisdicional de Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD+)”, afirmou o secretário.

INVESTIMENTO

O Tocantins, em 2019, vai receber um aporte de R$ 1,5 milhão do fundo gerido pela Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF). O anúncio foi feito em meados de setembro, durante a reunião anual na Califórnia, EUA.

O orçamento foi aprovado para a iniciativa apresentada pela Semarh, o Projeto Campo Sustentável. As estratégias foram elaboradas para garantir a redução do desmatamento, porém aliado ao desenvolvimento das cadeias produtivas sustentáveis. Outro ponto que garantiu a captação do recurso é que as propostas apresentadas estão dentro dos eixos trabalhados para a efetivação, no Tocantins, no REDD+, que visa assegurar e subsidiar programas de economia de baixo carbono, que diminuem as pressões de desmatamento e degradação e beneficiam as comunidades locais, considerando sempre as salvaguardas socioambientais.

Atualmente a Semarh está na fase de avaliação e seleção das propriedades rurais para a implementação do projeto a partir de 2019.

GCF

O GCF é uma força tarefa internacional estabelecida com base em um memorando de entendimentos, assinado em 2008, nos Estados Unidos, que fornece a base para a cooperação em inúmeros assuntos relacionados a política climática, financiamento, troca de tecnologia e pesquisa.

Um total de 38 estados e províncias do Brasil, Colômbia, Costa do Marfim, Equador, Espanha, Estados Unidos, Indonésia, México, Nigéria e Peru trabalham para construir programas jurisdicionais robustos que integrem políticas de REDD+ a outras ações que reduzam as emissões de gases causadores do efeito estufa.

O GCF defende que os governos subnacionais fornecem oportunidades únicas para a inovação e a liderança políticas, e que os esforços bem sucedidos para proteger as florestas, reduzir as emissões e melhorar a vida das pessoas devem ser baseados em programas jurisdicionais, em vez de projetos e atividades individuais.

Mato Grosso receberá cerca de 400 mil dólares, aproximadamente R$ 1,4 milhão no câmbio atual, do fundo criado pela Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF Task Force)