Geral 11/09/2020 - 14:39 - Thuanny Vieira/Governo do Tocantins

Comitê da Bacia Hidrográfica do Lago de Palmas cria Câmara Técnica da sub-bacia do Ribeirão de Taquaruçu

A diretoria eleita segue com gestão do Comitê até junho de 2021 A diretoria eleita segue com gestão do Comitê até junho de 2021 - Acervo Semarh/Governo do Tocantins

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Lago de Palmas (CBHLP) se reuniu na manhã desta sexta-feira (11) em sua 27ª Reunião Ordinária em formato virtual. Durante a reunião elegeram os novos integrantes da diretoria do Comitê e criaram a Câmara Técnica da sub-bacia hidrográfica do Ribeirão de Taquaruçu.

Os membros do CBHLP definiram durante a reunião que os novos membros a ocuparem as posições de vice-presidente e secretaria do Comitê, deveriam ser representantes de segmentos diferentes. O CBHLP é composto por representantes do Poder Público, Sociedade Civil Organizada e Usuários. O atual presidente do Comitê é secretário de Meio Ambiente de Porto Nacional, portanto representa o poder público. A presidente da Associação Água Doce, colocou o seu nome a disposição para ocupar o cargo de vice-presidente, sendo acatados por todos sem nenhuma objeção. Para a secretaria, o cargo ficou em vacância para ser definido entre os Usuários, em um outro momento, já que nem todos estavam presentes.  Os membros cumprirão o mandato até junho de 2021.

 A vice presidente eleita Libania Ferreira, em sua fala se colocou a disposição para apoiar os trabalhos do Comitê em defesa do meio ambiente e das águas do Tocantins, e que quer contribuir junto a atual gestão, para o avanço das resoluções que são urgentes sobre o uso da água.

Dentre as pautas debatidas na reunião, a criação da Câmara Técnica da sub-bacia hidrográfica do Ribeirão de Taquaruçu também foi discutida e criada em comum acordo com os membros presentes. A justificativa para a criação de uma Câmara Técnica para o Ribeirão Taquaruçu, “surgiu da necessidade de criar um olhar voltado para o Ribeirão Taquaruçu que é responsável por grande parte do abastecimento de água de Palmas, que sofre drasticamente com o mau uso desde 2002, é urgente um olhar específico para esse ribeirão que vem sofrendo cada dia, a situação é grave”, declarou Libania Ferreia, vice-presidente do Comitê e propositora da criação de uma Câmara Técnica.

Foi decidido ainda os componentes da Câmara Técnica: Ecoterra, Fazenda São Paulo, Prefeitura de Palmas, BRK Ambiental e Associação Água Doce. Será realizando ainda o convite para demais instituições como Ministério Público, Universidade Federal do Tocantins, Ruraltins e Conselho Regional de Biologia.

Na ocasião foi definida a agenda de reuniões para esse segundo semestre do CBHLP, tendo datas definidas para 06 e 29 de outubro, e a última reunião do ano para 10 de dezembro.